Ir para o conteúdo

Prefeitura de Botucatu - SP e os cookies: nosso site usa cookies para melhorar a sua experiência de navegação. Ao continuar você concorda com a nossa Política de Cookies e Privacidade.
ACEITAR
PERSONALIZAR
Política de Cookies e Privacidade
Personalize as suas preferências de cookies.

Clique aqui e consulte nossas políticas.
Cookies necessários
Cookies de estatísticas
SALVAR
Prefeitura de Botucatu - SP
Acompanhe-nos:
Rede Social Facebook
Rede Social Youtube
Notícias
Enviar para um amigo!
Indique essa página para um amigo com seus dados
Obs: campos com asterisco () são obrigatórios.
Enviando indicação. Por favor, aguarde...
NOV
07
07 NOV 2023
SAÚDE
1670 visualizações
Vigilância Ambiental em Saúde alerta sobre período de reprodução dos morcegos
enviar para um amigo
receba notícias
O período de reprodução vai de meado de outubro até março, quando os morcegos estão ativos.
A Vigilância Ambiental em Saúde de Botucatu orienta a população que estão vivendo o período de reprodução dos morcegos, principalmente os insetívoros, ou seja, aqueles que se alimentam de insetos. Os morcegos insetívoros estão muito bem adaptados na área urbana, pois eles encontram alimento em abundância e fazem do forro das edificações o seu abrigo.
 
O período de reprodução vai de meado de outubro até março, quando os morcegos estão ativos e serão mais notados pela população, resultando, assim, num aumento de aproximadamente 60% nas ocorrências envolvendo estes animais.
 
Os morcegos são animais silvestres protegidos por lei por serem importantes para o meio ambiente. Eles são responsáveis por realizar o controle da população de insetos, dispersão de sementes, polinização, entre outros benefícios, sendo assim não devemos matá-los.
 
Morcegos insetívoros, frugívoros e nectarívoros, os mais comuns na área urbana, não são alvos de controle em saúde pública, portanto somente deverão ser resgatados em situação de risco, ou seja, caídos e/ou pousados em locais não habituais à espécie, para exame laboratorial para diagnóstico de raiva.
 
Os morcegos são reservatórios naturais do vírus rábico, portanto não devemos manuseá-los, pois a mordida é uma defesa e, caso estejam infectados, poderão transmitir a raiva.
 
Quando uma pessoa tem contato acidental com um morcego, ela deverá passar por avaliação médica. Caso cão ou gato tenha contato com o animal, a Vigilância Ambiental em Saúde deve ser acionada para a adoção do protocolo de vacinação antirrábica.
 
 
O que fazer se encontrar um morcego caído e/ou pousado em local não habitual:
 
Vários são os fatores que podem contribuir para a queda dos morcegos e algumas espécies de insetívoros não conseguem levantar voo diretamente do chão, por isso é comum encontrarmos estes animais de hábitos noturnos caídos durante a luz do dia.
 
Ao se deparar com um morcego vivo ou morto nesta condição é importante isolá-lo, colocando um balde ou uma caixa de papelão em cima dele, impedindo que animais e pessoas tenham contato com o mesmo. Em seguida é preciso acionar a Vigilância Ambiental em Saúde. Em hipótese alguma jogue o morcego no lixo.
 
Caso um morcego entre voando no interior do imóvel, apague as luzes, feche as portas internas e deixe a janela aberta para que ele possa sair. A Vigilância Ambiental em Saúde realiza as orientações para desalojar os morcegos do forro de uma edificação, sendo que esta ação não poderá ser realizada neste período de reprodução.
 
A Vigilância Ambiental em Saúde atende de segunda a sexta-feira das 7h30 às 17 horas pelo telefone 3811-1609. Após o horário comercial, finais de semana e feriados, o plantão da Vigilância Ambiental em Saúde deverá ser acionado pelo telefone 153 da Guarda Civil Municipal.
 
 
Serviço:
Vigilância Ambiental em Saúde
Atendimento de segunda a sexta-feira das 7h30 às 17 horas pelo telefone 3811-1609
Após o horário comercial, finais de semana e feriados pelo telefone 153 da GCM.
 
Seta
Versão do Sistema: 3.4.0 - 05/02/2024
Copyright Instar - 2006-2024. Todos os direitos reservados - Instar Tecnologia Instar Tecnologia