| baú de histórias |

A Abelha Chocolateira
A Barba do diabo
A Bela Adormecida
A Bela e a Cobra
A Bola de Cristal
A Cotovia
A Fada do Outono
A Farinha Mágica
A Filha do Rei em busca de Marido
A Força do Amor
A Mãe e o Anjo
A Menina dos fósforos
A Morte e o Pastor de Gansos
A Mosca do Anão
A Princesa e a Ervilha
A Sombra
Aladim
Alfaiatezinho Valente
As Três Cidras do Amor
Branca de Neve
Chapeuzinho Vermelho
Cinderela
Coletânea de Fábulas
Como o Açucar Veio
Contos de Fadas
Contos de Fadas - coletâneas
Contos Desenhados
Contos e Lendas da Mitologia Grega
Eros Epsique
Fábulas da Vinci
Fábulas para Ouvidos Dourados
João e Maria
João sem medo
Joãozinho Semente de Maçã
Jonas e a Baleia
La Gruja Agradecida
La Montaña Crujiente
La Montaña de Los Ancianos
La Princesa de Bambu
Las Veladas De Dikanka
Lenda Árabe
Lenda Oriental
Letras do Pandalele
Mil e uma Noites
Missa do Galo
O Alfaiate sim-sim e o Sapateiro não-não
O Aprendiz de Feiticeiro
O Aprendiz de Mago

O Boi Cardil
O Boi, o Macaco e o Porco
O Bom Estevão
O Bosque Misterioso
O Caldo de Pedra
O Cego e o Moço
O Coelhinho Astuto
O diabo e seus parentes
O Espírito da Luz
O Gênio da Montanha
O Homem que Fumava
O Inventor Inteligente
O Jumento e a Raposa
O Livro de Enoque
O Mago Alfinete
O Menino e o Padre
O Pequeno Polegar
O Príncepe com Orelhas de Burro
O Príncipe Transformado em Asno
O Príncipe Sapo
O Que Aconteceu a Abelha
O Rato Rogério
O Rei do Rio de Ouro
O Rei, o Sufi e o Cirurgião
O Rouxinol
O Sal e a Água
O Sargento que foi ao Inferno
O Segredo dos Animais
Os Deuses Celtas
Os Dez Anõezinhos da Tia Verde-Água

Os Dois Caçadores
Os Dois Irmãos de Ouro
Os Dois Príncipes
Os Sete Corvos
Os Três Conselhos
Os Três Guerreiros
Os Três Impostores
Outros amigos do Saci
Panchatantra
Pedro Malasartes
Pinoquio
Provérbio Chinês
Rumpelstiltskin
Saci Pererê
Sempre não
Sinais
Sir Gawain e a Dama Abominável
Tumbalacatumba tumba tá
Uma Fábula sobre a Fábula
Uma História do Saci
Woo Sing e o Espelho

| técnicas para contar histórias |

Contar histórias

Conselhos valiosos para quem pretende ser um contador de histórias

Indicações de leitura

| para saber mais |

• Livros bons para se ler e contar

Sites

Livros teóricos

• Artigos sobre contação e contadores
A Contação de Histórias no século XXI
A Importância do Saber Contar Histórias na Educação Infantil
A Narração de Histórias e as Crianças Pequenas
A Psicanálise dos Contos de Fadas
Contar Histórias - Uma Arte Imortal
Contar Histórias - Uma Linguagem de Afeto
Narrativas da Tradição como Meio de Ensino na Formação Continuada de Professores
O Conto de Tradição Oral e a Aprendizagem do Professor
Obras dos Irmãos Grimm
Os Primeiros Contadores de Histórias
Uma Arte dos dias de Ontem para Revitalizar os Recursos Humanos de Hoje

| eventos |

Oficinas Culturais
A Secretaria de Cultura com o objetivo de valorizar as diversas expressões artísticas, desenvolve o Projeto de Oficinas Culturais, o qual procura atingir a população interessada em adquirir conhecimento nas áreas específicas.

Os cursos oferecidos neste primeiro semestre de 2007 foram de Desenho e Pintura, ministrado pela professora Ana Claudia Fernandes Cassetari, Oficina de Sonhos: a arte de contar, ler e ouvir histórias, ministrada pela professora Vera Lúcia Ravagnani e Oficina de Monotipia, ministrado pela artista plástica Rosa Barreiros.

As oficinas acontecem na Secretaria de Cultura, no Espaço Cultural, às segundas-feiras e aos sábados. Os grupos formados por 25 alunos passaram por uma seleção, pois o número de candidatos foi maior do que o de vagas oferecidas, constatando o interesse da população em expressar suas idéias e também, pelas oficinas serem gratuitas.

Os grupos são heterogêneos, com pessoas de várias idades e formação, o que possibilita uma riqueza na troca de experiências ampliando o aprendizado de cada participante.

| histórico |

PROJETO: “oficina de sonhos: A Arte de Contar, ler e ouvir histórias”

“Contar uma histórias é dar um presente de amor.” - Lewis Carrol
A experiência de ouvir e contar histórias é uma antiga arte ligada à essência do ser humano. As narrativas tradicionais expressam em imagens as verdades mais profundas da vida.  Daí serem eternas.

Era uma vez... histórias de heróis, santos, príncipes e princesas, bruxas e dragões mexem com a fantasia, com os sonhos e ajudam crianças e adultos a superarem, com simplicidade e beleza, muitos  conflitos. É um convite  para o sonhar e sonhando formar o próprio caminho, pontes para jornada da vida.

Contar histórias é a mais antiga e, paradoxalmente, a mais moderna forma de comunicação. No passado, era o contador de histórias o depositário da experiência, conhecimento e sabedoria. Em tempos de supremacia da imagem (da televisão, do computador, das coisas prontas) as histórias contadas oferecem um divertimento que está dentro de cada um, em seus valores subjetivos. Em tempos passados, o rito familiar possibilitava o clima intimista na relação entre as gerações nas sessões de contação de histórias. A figura do avô ou da avó era símbolo do faz-de-conta, agente de introspecção imaginativa das crianças e jovens. Via de regra, brincadeiras entre crianças reproduziam e ampliavam as simbologias dos momentos mágicos extraídos dos livros.

Os tempos mudaram: a relação intimista entre as gerações fica prejudicada pelo acelerado dos ritos sociais modernos, e a nova figura do contador de histórias passa a ser o monitor de TV. As brincadeiras, antes essencialmente coletivas (sem desperdiçar momentos de introspecção), assumem caráter de um isolamento ou nos momentos coletivos, reproduzem imagens prontas de uma trama estereotipada. Em um mundo sem tempo, torna-se necessário o resgate do instante mágico da contação de histórias e da leitura.

Por meio de dinâmicas e vivências, despertar os contadores de histórias que existem em cada um, estimulando com técnicas elaboradas, a faceta sensível e poética inerente ao ser humano, aprimorar sua capacidade expressiva e criativa, valorizar a relação com o livro como fonte de inspiração na busca de disseminar, pela prática, o direito de formar não somente leitores, mas antes de tudo, cidadãos sensíveis, mais humanizados.

OBJETIVOS
A OFICINA é uma proposta interdisciplinar que tem por objetivos:
• Sensibilizar o talento criativo do participante para ouvir e intuir histórias
• Integrar o conhecimento e a sabedoria milenares das histórias ao nosso cotidiano
• Familiarizar o participante com as técnicas e as artes de ouvir e contar e ler histórias.
• Estimular os participantes a contarem histórias em seu dia-a-dia.

ESTRATÉGIAS
A metodologia desta oficina contempla:
• Exercícios interativos, de sensibilização e observação de si mesmo e do outro
• Atividades com jogos teatrais e artes plásticas aplicadas às técnicas de contação de histórias
• Exercícios de ler, ouvir e contar histórias
• Momentos de embasamento teórico-prático por meio de leituras dirigidas e aulas dialogadas
• Pesquisa e estudo dirigido
• Aplicação do CAV

PÚBLICO-ALVO
Todos que queiram conhecer vivenciar e trocar idéias sobre a arte de ler, ouvir e contar histórias.
*Pede-se que o participante tenha mais de 15 anos.

 

Arquivos em formato PDF, clique aqui.
| baú de histórias | eventos | histórico | para saber mais | técnicas para contar histórias |